Há quase dois anos longe do futebol, Adriano já recebeu inúmeras chances de voltar aos gramados

08:00 Fagner Soares 0Comentários

Adriano viveu grandes momentos atuando na Itália. Sua habilidade aliada à sua grande força física lhe rendeu, não por acaso, o apelido de ‘Imperador’. Fez história na Internazionale de Milão até 2006. Nesse ano, com o falecimento de seu pai, a carreira de Adriano começou a declinar. Inúmeros clubes já abriram as portas para tentar resgatar o bom futebol do Imperador. Veja na galeria a seguir quais são esses times
Adriano permaneceu na Inter até 2007. Roberto Mancini, treinador do clube na época, barrou o jogador, que estava fora de forma, da disputa das Liga dos Campeões da temporada 2007-08. Deprimido, recorreu ao álcool, agravando ainda mais sua forma física. Em 2008 conseguiu a liberação do clube italiano para melhorar seu condicionamento físico no Reffis do São Paulo. Após conseguir melhorar o condicionamento físico do atleta, o clube paulista solicitou o empréstimo do jogador por seis meses, junto à Inter de Milão. No Tricolor, disputou o Campeonato Paulista e a Libertadores, disputando 28 jogos e marcando 17 gols. Retornou à Itália logo após a eliminação do São Paulo na competição sulameriacana
Novamente na Inter, Adriano disputou 19 partidas, marcando apenas cinco gols. O declínio de vez aconteceu em abril de 2009, quando abandonou o clube de Milão, voltando ao Brasil, desta vez para sua terra natal. No dia nove deste mesmo mês, Adriano disse que pararia de jogar por um tempo, pois tinha perdido a alegria de jogar futebol
Em maio de 2009, o Flamengo, seu clube de coração, o qual começou a carreira, abriu as portas para que ele voltasse. Adriano voltou a mostrar um bom futebol, mostrando-se essencial para a conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano, sendo artilheiro da competição, ao lado de Diego Tardelli, do Atlético-MG, com 19 gols marcados. No entanto, uma briga envolvendo sua ex-namorada, a modelo Joana Machado, o fez declarar, novamente, que tinha perdido a vontade jogar futebol. Em 2010, após perder um pênalti contra o Botafogo na final da Taça Rio, a torcida rubro-negra começou a pegar no pé do jogador. Após a eliminação da Libertadores, Adriano se despediu do Flamengo. Seu destino seria novamente a Itália. Desta vez o Imperador da Roma
Pelo bom futebol apresentado no Flamengo em 2009, a Roma resolveu dar mais uma chance para Adriano no futebol italiano, assinando um contrato válido por três temporadas. O jogador, no entanto, não correspondeu às expectativas e acabou rescindindo contrato em março de 2011, após cinco jogos e nenhum gol marcado. A rescisão foi motivada por fatores fora das quatro linhas e pelo baixo rendimento do jogador
Logo após a rescisão com a Roma, Adriano tentou voltar ao Flamengo, mas foi recusado por Vanderlei Luxemburgo, então treinador da equipe, e pela diretoria do clube. Por indicação de Ronaldo, o Corinthians decidiu apostar no jogador. Chegou ao clube no final de março, mas logo na preparação para a volta aos gramados rompeu os ligamentos do tendão de Aquiles. Após a cirurgia de reconstrução, ficou seis meses fora. Voltou a disputar uma partida no início de outubro, na vitória do Corinthians sobre o Atlético-GO, por 3 a 0. Seu primeiro gol com a camisa alvinegra foi decisivo: diante do Atlético-MG, selou a virada da partida e o encaminhamento do quinto título brasileiro do Timão. Começou o ano de 2012 no Corinthians, mas após atos de indisciplina, teve seu contrato rescindido
Pouco tempo depois da rescisão com o Corinthians, o Flamengo abriu, mais uma vez, as portas para que Adriano voltasse a jogar futebol. Como ainda estava lesionado, teve de passar por outra cirurgia, ficando três meses em recuperação. Recuperado, Adriano voltou a treinar. No entanto, continuava se envolvendo em polêmicas e faltando a treinos. Em novembro de 2012, teve seu contrato rescindido, desta vez sem fazer uma partida sequer
Longe do futebol em 2013, Adriano recebeu nova oportunidade de retomar a carreira. O Atlético-PR propôs ao jogador que assinasse um contrato por produtividade. Adriano aceitou e assinou com o Furacão. Estreou em um jogo contra o The Strongest, em partida válida pela primeira fase da Copa Libertadores, entrando nos minutos finais. Marcou seu único gol pelo time rubro-negro justamente contra o Strongest, na derrota por 2 a 1, não evitando, assim, a eliminação do clube paranaense do torneio continental. Após faltar a treinos, o filme se repetiu: em abril Adriano teve seu contrato rescindido. Descartou aposentadoria, pois teria propostas para voltar ao exterior
Ainda em 2014, o ex-camisa nove da seleção brasileira foi anunciado pelo Le Havre, time da segunda divisão do Campeonato Francês, intermediado por um empresário. O negócio, porém, não se concretizou e Adriano, até hoje, permanece sem clube
Após ter um 2015 inativo no futebol, Adriano vem recebendo sondagens de diversos clubes para atuar em 2016. Verdade é que nenhum é de grande porte, mas todos têm o mesmo interesse: abrir as portar para que Adriano retome o bom futebol. União Rondonópolis, do Mato Grosso, Cruzeiro, de Porto Alegre, Sete de Setembro, do Mato Grosso do Sul, Villa Nova, de Minas Gerais, Taubaté e Gama especularam contratar o Adriano. No entanto, nenhuma das negociações se concretizou
Existem ainda as torcidas que fazem coro para que Adriano feche com seus respectivos times. A torcida do Tupi, de Minhas Gerais, criou uma campanha para que Didico, apelido que Adriano recebeu nas redes sociais, feche com o Galo de Juiz de Fora. A torcida do Náutico também fez campanha para que o Imperador fechasse com o Timbu. No entanto, as diretorias dos clubes negam que estejam negociando

Fonte: R7
face

0 comentários: