Partidos devem resolver pendências para as eleições no Ceará

17:19 Fagner Soares 0Comentários

Faltando alguns meses para que a campanha eleitoral inicie, partidos políticos já começaram a preparação para o pleito municipal de 2016. Até lá, entretanto, os dirigentes partidários ainda têm a missão de buscar o consenso nas legendas sobre a postura a ser adotada no próximo ano. A eleição de Fortaleza, por exemplo, expõe o racha interno vivenciado em algumas siglas, principalmente sobre a decisão de sair com candidatura própria a prefeito da Capital ou apoiar um postulante de outra agremiação.

Quando o tema é eleição municipal de Fortaleza, o Partido dos Trabalhadores (PT) é o que está em situação de maior incerteza sobre a posição que tomará em 2016. Enquanto os vereadores petistas da Capital, a deputada federal Luizianne Lins (PT) e o presidente municipal do PT, Elmano Freitas, defendem que o partido lance candidato em oposição a Roberto Cláudio, lideranças estaduais e o governador petista Camilo Santana flertam com o atual prefeito.

De acordo com o dirigente do PT Ceará, Francisco de Assis Diniz, a sigla determinou que candidaturas de municípios com mais de 100 mil habitantes devem ser submetidas ao crivo da executiva nacional, enquanto o filtro em cidades menores será feito pelo diretório estadual. No caso de Fortaleza, afirma o dirigente, a eleição local não pode se sobrepor à decisão nacional.

"O diretório municipal não terá autonomia plena para deliberar", pondera De Assis. "Tem uma orientação para que o partido tenha candidatura onde tenha necessidade e seja viável", complementa De Assis.

Debate político
O presidente estadual do PT acrescenta que vai ser instituído um Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE), coordenado por 15 integrantes, para discutir o cenário local. Ele diz que lideranças da sigla apresentarão nesses eventos as "propostas de resolução" relacionadas à campanha eleitoral para conduzir "debate político" sobre o caso de Fortaleza. "Será um debate com a executiva municipal, estadual e nacional para a homologação nacional", reforça o dirigente.

O PPS está entre os que apresentam impasse a resolver até a campanha que se aproxima. Isso porque o presidente do grêmio, Alexandre Pereira, é coordenador do Conselho Gestor das Parcerias Público-Privadas (PPP) da Prefeitura de Fortaleza. A tendência do dirigente é apoiar a reeleição de Roberto Cláudio.

A posição de Alexandre Pereira não é corroborada por parte de parlamentares do partido no Estado, entre os quais o deputado federal Moses Rodrigues. Para esses quadros, o partido deve ter candidatura própria a prefeito da Capital (sendo Alexandre Pereira o nome mais cotado).

Questionado pelo Diário do Nordeste sobre como a legenda pretende conciliar essas divergências internas antes do pleito do próximo ano, Alexandre Pereira disse que a definição ficará a cargo do diretório municipal de Fortaleza, presidido por Michel Lins, que tem mais afinidade com a ideia de apoio à reeleição de Roberto Cláudio.

"A definição é do diretório municipal de Fortaleza, assim como na eleição de Sobral a gente delega para o diretório de Sobral. Se ele (Moses Rodrigues) deseja ser candidato lá (em Sobral), vamos discutir. Hoje temos mais de 90 nomes como pré-candidatos (a vereador) para Fortaleza. O diretório estadual tem poder de opinar nas discussões, mas a gente respeita muito o diretório municipal", alega o dirigente.

Alexandre Pereira argumenta que o apoio ao prefeito Roberto Cláudio é coerente, uma vez que o gestor cumpriu as exigências feitas pelo PPS em troca de apoio. "Colocamos condicionamento ao prefeito na época para apoiar que ele abraçasse alguns projetos de campanha, como a adoção de praças e escolas em tempo integral, tudo marca da gestão do Roberto Cláudio. O prefeito cumpriu todas as cláusulas, o PPS ajuda a construir a gestão", defende.

Convenção
O dirigente do PPS alega que o martelo sobre o cenário eleitoral de Fortaleza será batido em convenção do partido. "Respeito a opinião do deputado Moses, vamos fazer o que for melhor para o partido e para a chapa de vereadores de Fortaleza", pontua.

Outro partido em situação a ser definida é o PHS. O presidente estadual da sigla, o deputado Tin Gomes, se apresenta como candidato a prefeito de Fortaleza, embora outro quadro da legenda de peso político no Estado, o deputado federal licenciado Adail Carneiro, sinalize apoio à reeleição de Roberto Cláudio.

Tin ressalta que a movimentação de Adail é um ato pessoal e não partidário. Segundo ele, em reunião com a executiva nacional, ficou confirmada a candidatura dele a prefeito de Fortaleza. "Dos votos da Capital (na eleição de Adail para deputado federal), ele teve o meu apoio. Ficou definido que ele vai apoiar o Roberto Cláudio, mas o PHS continua com candidatura própria", diz.

Ele acrescenta que Adail Carneiro teria declarado apoio a Roberto Cláudio no primeiro turno, mas estaria ao lado do candidato do PHS caso o candidato da legenda chegue ao segundo turno. "Mesmo se for contra o Roberto Cláudio", reforçou Tin.

Fonte: Diário do Nordeste

face

0 comentários: