Com dose extra de emoção e gol no fim, Sport bate Campinense, na Ilha

15:52 Fagner Soares 0Comentários

Em uma Ilha do Retiro lotada e com um cenário de festa montado desde antes da partida, o Sport suou para vencer o Campinense, na primeira partida da semifinal da Copa do Nordeste. Com um futebol muito abaixo da média e contra um Campinense lúcido em campo, o Leão precisou de um milagre do zagueiro Durval, que deu uma de atacante e, aos 49 minutos, apareceu na área para fazer o gol da vitória e fazer a Ilha do Retiro ir abaixo. A vitória dá ao Leão uma pequena vantagem para o segundo jogo. Pode empatar. O Campinense precisa vencer por dois gols de diferença. Um novo 1 a 0 para a Raposa leva a decisão para os pênaltis.

Sport e Campinense voltam a se enfrentar no domingo, pelo segundo jogo da semifinal da Copa do Nordeste. A partida acontece às 16h, no Estádio Amigão, em Campina Grande.

A pressão da torcida era grande, e o Sport até parecia, nos primeiros minutos, que ia fazer jus ao mando de campo e pressionar o Campinense. Engano. Apesar do domínio territorial, o Leão teve muitas dificuldades para criar. O quarteto ofensivo com Diego Souza, Mark González, Lenis e Vinícius Araújo demorou a se entender. Dificuldade que não teve Roger Gaúcho, pelo lado dos paraibanos. Ele comandou as ações ofensivas da Raposa - poucas, é verdade - e apareceu bastante nos primeiros 45 minutos. O Sport assustou Gledson apenas aos 26 minutos, quando Diego Souza acertou na rede pelo lado de fora. Lenis e Mark tiveram outras oportunidades, mas desperdiçaram.

O segundo tempo começou com as equipes mais dispostas, mas sem criar tantas oportunidades para abrir o placar. O Sport tentou logo de cara em dois chutes de fora da área, com Lenis e Mark, mas Gledson salvou. Ele parou também Rithely, em outra tentativa. Se o Campinense tinha Gledson, o Sport tinha Danilo Fernandes, que frustrou Adalgíso Pitbull, na principal chance do jogo. Aos 27 minutos, ele deixou a defesa rubro-negra toda para trás e ficou na cara do arqueiro do Leão, que efetuou um verdadeiro milagre. Pelo lado dos paraibanos, o camisa 1 repetiu a boa ação e, aos 45, fez o impossível num chute de Johnathan Goiano. Ele só não parou Durval, que, aos 49, apareceu na área como um centroavante e fez 1 a 0.

Fonte:globoesporte

face

0 comentários: