Página da atriz Letícia Sabatella no Facebook é desativada

10:25 Fagner Soares 0Comentários

A página da atriz Letícia Sabatella no Facebook foi desativada no domingo (3) e permanecia fora do ar na tarde desta segunda (4). Em postagem em seu perfil na rede social, Fernando Alves Pinto, ator e marido de Letícia, diz que a atriz não excluiu sua fanpage e que ela provavelmente foi alvo de denúncias.

Alves Pinto também usou a hashtag #SomosTodosSabatella em seu texto, pois acredita que a atriz está sendo atacada na internet.

Na última quinta-feira (31), Letícia Sabatella participou de uma manifestação no Palácio do Planalto contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em sua fala, a atriz disse, sob os olhares de Dilma, que, atualmente, faz oposição ao governo petista, mas fez questão de ir ao ato em defesa da presidente porque, na opinião dela, há em curso um "plano maquiavélico de tomada de poder na marra" por parte de partidos oposicionistas.

"Eu sou oposição ao seu governo, presidenta Dilma. Mas eu tenho um contentamento em poder dizer isso na sua frente porque vivo num estado que se pretende utopicamente, em exercício neste momento, ser um estado democrático. Ou seja, preservando a liberdade", declarou a atriz.

O G1 procurou a assessoria do Facebook para obter mais informações sobre o caso e não obteve resposta até a publicação desta reportagem. Ela será atualizada quando houver um posicionamento.

Casos recentes

O caso de Letícia Sabatella é o mais recente de uma série de remoções polêmicas de páginas populares no Facebook. O estopim da controvérsia foi a desativação, em 1º de novembro de 2015, da página "Orgulho de ser hétero", que reunia cerca de 2 milhões de pessoas. A decisão foi comemorada em páginas e comunidades de ativismo feminista e LGBT, que frequentemente a denunciavam pelo que dizem ser discurso de ódio.

A partir daí, frequentadores da "Orgulho de ser hétero" teriam se organizado para orquestrar a remoção de páginas ligadas a estes grupos. Mensagens nas novas versões da página pediam apoio para coordenar denúncias a algumas delas.

No mesmo dia, páginas como "Feminismo sem demagogia", "Cartazes e tirinhas LGBT" e "Moça, você é machista" também saíram do ar, assim como a da youtuber Julia Tolezano, a Jout Jout, cujos vídeos sobre assédio contra mulheres fazem sucesso nas redes sociais brasileiras.

A desativação da página de Jout Jout causou indignação dos fãs e chamou a atenção da mídia. A prefeitura de Niterói, cidade natal da vlogueira, chegou a se manifestar em seu perfil oficial na rede.

Fonte: G1
face

0 comentários: