Chantageado por ex que fingiu gravidez, jovem diz que teve saúde abalada

16:37 Fagner Soares 0Comentários



Victor diz que nunca pode ver a filha, apesar de pedidos insistentes à mãe da criança (Foto: Reprodução/G1)

O motorista Victor Guerino Sedassare, que durante um ano foi chantageado pela ex-namorada que fingiu uma gravidez e o nascimento da filha deles, diz ter ficado abismado ao descobrir a farsa. O jovem, que há dez meses luta contra um câncer na coluna, afirma que teve a saúde ainda mais fragilizada pela falta de explicações da mãe, Pâmela Ribeiro Serveli, que nunca o deixou ver a menina.

Victor foi obrigado judicialmente a custear as despesas da gravidez, uma vez que Pâmela fraudou os documentos apresentados no processo e induziu a Justiça em Ribeirão Preto (SP) a erro.

"Eu nunca pude imaginar que uma pessoa seria capaz de fazer isso. Isso prejudicou demais o tratamento. Eu precisava de apoio, de boas notícias pra ir me tratando, e cada vez que vinha notícia sobre isso era como um bombardeio, me desanimava. Era como se eu tivesse querendo melhorar na vida e viesse alguém pra me por pra trás", afirma.

A pedido do Ministério Público, um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil. Pâmela poderá responder por falsificação de documentos e por utilização da Justiça de forma indevida. A pena é de um a cinco anos de prisão para cada um dos crimes.

Procurado, o advogado de Pâmela diz que foi informado pela família dela de que a jovem está em tratamento psiquiátrico desde janeiro deste ano.

Anúncio da gravidez

Victor e Pâmela namoraram por quatro anos, terminaram o relacionamento em 2015, mas chegaram a sair juntos por algumas vezes, porque a jovem tentava reatar e não aceitava o fim da relação. Pouco tempo após o último encontro, Pâmela procurou o jovem para contar que estava grávida e apresentou um exame, que comprovava a gestação.

Segundo a família, Pâmela entrou na Justiça para obrigar o ex-namorado a custear todas as despesas com a gestação, e conseguiu uma decisão favorável ao pedido. Após o nascimento da criança, no entanto, o rapaz nunca conseguiu ver a menina, chamada de Laura pela mãe e pelos avós maternos.

"Ela começou a me evitar. Eu pedia pra ela trazer a criança pra eu ver, e ela simplesmente não trazia. Ela falava que vinha, chegava na hora e ela não trazia. Sempre tinha um problema, sempre tinha um empecilho. Aí a gente começou a duvidar, que isso não era tão normal", diz o jovem.

Exame falso

Desconfiada do comportamento de Pâmela, há quatro meses, a mãe de Victor passou a buscar evidências sobre a existência da neta. Rosa Helena Sedassare conta que foram várias tentativas frustradas de conhecer Laura, mas todas em vão.

Em julho deste ano, Rosa procurou o laboratório responsável pelo exame que atestou a gravidez de Pâmela e descobriu o que seria uma grande mentira. "Me veio uma luz e eu fui. Quando eu cheguei no laboratório, até o teste de gravidez era falso. Eu pensei, se o teste de gravidez é falso, tudo é falso, não existiu uma gravidez."

A descoberta da farsa deixou Victor perplexo, e ele passou a acreditar que Pâmela agiu desta forma por vingança, já que ele não tinha mais interesse em reatar com ela.

"No começo, eu acho que ela me queria pra ela. Como ela percebeu que isso não foi mais possível, que eu falei pra ela ´se você tiver uma criança, a gente simplesmente vai manter esse relacionamento´, eu acho que já começou a ser uma vingança. É como se ela quisesse só me prejudicar acima de tudo", afirma o rapaz.

Farsa revelada em festa de aniversário

Rosa procurou o juiz e relatou sobre a possibilidade de o exame que atestava a gravidez ter sido fraudado por Pâmela. Um oficial de Justiça foi enviado à casa da jovem para informar que ela e a criança teriam que comparecer ao Fórum e que a mãe teria de apresentar a certidão de nascimento da filha.

O oficial foi enviado no dia da festa do primeiro aniversário de Laura, como a criança era chamada, em 11 de julho deste ano. A mulher distribuiu convites a familiares, amigos e vizinhos dela e do pai da criança, e chegou a gastar R$ 3 mil com a contratação de um buffet para o evento.

A farsa foi, enfim, revelada quando uma mulher chamada Emily invadiu a festa e afirmou que três pessoas tinham tentado levar a filha dela de casa. A Polícia Militar foi chamada, e Pâmela foi levada para a delegacia para prestar esclarecimentos.

Angústia e sofrimento

Para a mãe de Victor, o sentimento de decepção do filho em um momento em que ele requer muitos cuidados com a saúde, deixou a família ainda mais angustiada.

"Ela foi atrás dos meus primos, amigos, vizinhos. Fez chá de bebê, fez tanta coisa pra convencer a gente que ela estava grávida, e eu ficava muito sentida de não poder ver a criança. O meu filho queria ver a filha, porque está em um estágio muito grave da doença. Ela nunca deixou ele vê-la. Isso me deixou muito abalada."

O pai do rapaz, João Batista Sedassare, tem convicção de que Pâmela agiu com o consentimento dos pais dela, porque não poderia fazer durar a mentira sem a ajuda de pessoas próximas.

[Os pais dela] participaram. A tristeza que a gente fica no coração é justamente isso. Os pais sabendo de tudo isso, ao invés de nos procurar, desmontar tudo isso, eles foram coniventes, eles apoiavam isso. Diversas vezes eles vieram na porta da minha casa tentando fazer eu entender que a filha deles precisava de apoio."

Segundo o promotor de Justiça Sebastião Donizete Lopes, as pessoas que eventualmente tiveram participação na farsa montada pela jovem podem responder criminalmente.

"Apurando que outras pessoas participaram disso, seja da família dela ou não, elas serão acusadas do mesmo crime. Acusado de um crime não é só aquele que falsifica, mas também aquele que cria condição para que a falsidade ocorra", explica.

O advogado de Pâmela, Carlos Andreotti, não acredita que os pais da jovem tenham consciência das atitudes tomadas pela filha.

"São pessoas de bem e eu não acredito que eles tenham dado apoio ou tenham contribuído com isso."

Andreotti diz que aguarda o laudo médico sobre o tratamento a que Pâmela está sendo submetida para justificar os fatos. Ainda segundo o advogado, os exames apresentados pela jovem à Justiça deverão passar por perícia.

G1

face

0 comentários: