Bando armado e encapuzado implodiu o Banco do Brasil e Bradesco de Potengi nesta madrugada

11:07 Fagner Soares 0Comentários


Veja como ficou a situação do Posto do Brasdesco de Potengi (Foto: Reprodução)


Exatamente um mês após a implosão da agência do Banco do Brasil de Lavras da Mangabeira, mais dois bancos foram implodidos na região do Cariri. O Slogan de Potengi “A cidade que não dorme” foi literalmente observado na madrugada desta sexta-feira com as destruições à base de granadas do Posto do Bradesco que funciona na Rua Manoel Monteiro e do Banco do Brasil na Rua José Edmilson Rocha. Os assaltos foram praticados por cerca de 10 homens fortemente armados e encapuzados.

Eles estariam em dois carros e com o apoio de motocicletas quando implodiram quase simultaneamente os prédios onde funcionam essas duas instituições financeiras Por volta de 01h30min da madrugada desta sexta que é dia de feira em Potengi. Enquanto ocorriam as implosões, o bando esteve na sede do Destacamento Militar e circulou as ruas centrais efetuando disparos com armas de grosso calibre por cerca de 20 minutos. Inclusive em frente a imóveis onde residem policiais militares.
Agência do Banco do Brasil funciona na Rua José Edmilson Rocha (Foto: Reprodução/Redes sociais)

Um guarda noturno foi feito refém, mas logo liberado e não se tem informações se os assaltantes levaram dinheiro dos bancos destruídos numa madrugada de terror em Potengi. O barulho foi enorme e os acusados gritavam palavras de ordem pedindo às pessoas para não saírem de suas casas. Alguns imóveis que ficam pertos do Bradesco e Banco do Brasil apresentaram rachaduras e destruições em parte do telhado. Além dos PMs de Potengi, houve reforço de policiais de Araripe, Assaré, Altaneira e Campos Sales, mas até o momento ninguém foi preso.

LAVRAS – Uma ação semelhante ocorreu na madrugada do dia 29 de agosto em Lavras da Mangabeira quando cerca de 15 homens fortemente armados e alguns encapuzados implodiu o setor de caixas automáticos e parte do Banco do Brasil na Rua Coronel Raimundo Augusto Lima no centro da cidade. Nesse caso, o bando não esteve na unidade militar para intimidar a polícia. Eles se utilizaram de dinamite e causaram duas enormes implosões ouvidas a uma certa distância com fulcro no caixa forte de onde levaram dinheiro.


Por Demontier Tenório
Miséria.com.br
face

0 comentários: