Lançado o primeiro edital para privatização do aeroporto de Juazeiro

11:46 Fagner Soares 0Comentários


Lançado o primeiro edital para privatização do aeroporto de Juazeiro (Foto: Felipe Azevedo/Agência Miséria)

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil publicou, na ultima sexta-feira (1), o edital que inicia o processo de concessão do aeroporto de Juazeiro do Norte. A primeira etapa consiste em um chamamento público para apresentação de projetos, levantamentos, investigações e estudos que subsidiem a modelagem das concessões para expansão, exploração e manutenção dos aeroportos. 

No mesmo documento estão inclusos os terminais que fazem parte do mesmo bloco no qual está inserido o de Juazeiro - João Pessoa (PB), Campina Grande (PB), Maceió (AL) e Recife (PE). O prazo final para a apresentação dos estudos, estabelecido pelo Ministério dos Transportes, é de 120 dias. 

O aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro, compõe o grupo de terminais cujo atrativo dos investidores deverá ser pautado no turismo que acontece o ano inteiro, principalmente pela relação de oferta e demanda aos destinos no litoral - principalmente a faixa pernambucana. 

POTENCIAL
Juazeiro, porém, apresenta-se pelo exponencial avanço econômico e com um dos mais importantes centros de turismo religioso no país. A atratividade ao terminal, porém, será definida baseando-se nos investimentos obrigatórios que serão traçados após os estudos técnicos. 

Os interessados em realizar a série de estudos nos aeroportos deverão protocolar junto ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, um requerimento de autorização que indique informações especificadas e exigidas no edital. 

O documento indique que o levantamento nos terminais deverão apresentar Estudos de Mercado; Engenharia e afins; Estudos ambientais e avaliação econômica-financeira. Este processo não deverá ser tão célere. No último processo deste tipo, o tempo entre a publicação do edital convocando os estudos e os leilões dos terminais, foi de um ano e nove meses.



Por Felipe Azevedo/Agência Miséria
Miséria.com.br

face

0 comentários: