Barbalha é a primeira cidade do Cariri a iniciar o processo de imunização contra a Covid-19 - RÁDIO SÃO PEDRO FM 105,9

Post Top Ad

Barbalha é a primeira cidade do Cariri a iniciar o processo de imunização contra a Covid-19

Share This

 

Foto: Toni Sousa/SVM

 A cidade de Barbalha foi a primeira do Cariri a iniciar a vacinação contra a Covid-19. Uma enfermeira e uma técnica de enfermagem foram imunizadas às 6h40 desta terça-feira (19), no Caps III, antigo Centro de Saúde Materno Infantil. O Município é o segundo do interior cearense a começar o plano de vacinação. O primeiro foi Sobral, com a imunização realizada no fim da noite de ontem (18) em uma agente de saúde e uma técnica de enfermagem. A vacinação no Ceará começou por Fortaleza.

A técnica de enfermagem Maria Francineide de Brito foi a primeira a ser vacinada. Ela expressou “felicidade” por ter sido escolhida para “representar uma classe tão batalhadora” e disse que “esse momento foi algo sonhado ao longo desses meses de muita luta e muita batalha nas unidades básicas”.

“Não esperava que [a vacina] viesse tão cedo. Significa uma luz no fim do túnel. A jornada continua, mas agora sabemos que teremos um fim com essa vacina”, comemorou.

A coordenadora da Ala da UTI Covid do Hospital Maternidade São Vicente de Paulo, de Barbalha, Maria das Dores Felipe Lacerda, de 31 anos, foi a segunda a ser imunizada. Após ser vacinada, a profissional destacou a importância desse ato simbólico que, para ela, representa um momento “histórico e de gratidão”.

“Estamos desde no início no enfrentamento direto à Covid e hoje a gente renova a esperança de dias melhores, não só para nosso município, mas para o Ceará e para o Brasil. Passamos por momentos muito difíceis, mas agora acreditamos numa renovação, acreditamos em bons novos dias”, disse Maria das Dores.

As vacinas foram aplicadas pelo prefeito do Município, Guilherme Saraiva, que também é médico. Barbalha recebeu 845 doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac e produzida pelo Instituto Butantan. O quantitativo representa 34% do público prioritário da primeira fase de vacinação.

“É um momento muito importante, que representa esperança e alento para todos nós. O foco desse primeiro lote é vacinar os profissionais de saúde que estão na linha frente. Após finalizar esse processo, vamos mediar a chegada de um novo lote para estender a vacinação para mais pessoas, como os idosos”, detalho Guilherme Saraiva.

A vacinação nos demais profissionais começará amanhã, dia 20. “Será de forma volante. O Município vai até o profissional para que não tenhamos aglomeração em um único local, em um mesmo horário”, informou a assessoria de comunicação.

Interior cearense

A imunização contra a Covid-19 nas demais cidades do interior deve ser iniciada até amanhã (20). A previsão é da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) e Conselho das Secretárias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-CE). Na avaliação do presidente da Aprece, Nilson Diniz, “todos os municípios já estão capacitados e aptos a darem início a vacinação”.

A presidente do Consems, Sayonara Moura Cidade, compartilha da mesma análise. “Tivemos diversas reuniões com os municípios, estão todos muito bem orientados. Cada Secretaria municipal da Saúde sabe exatamente como proceder”, completou.

“A maioria dos municípios já estará em posse desses imunizantes na terça-feira e já podem iniciar o processo. As cidades menores têm que se deslocar para retirada das doses nos pontos estratégicos de distribuição. Portanto, quarta-feira é uma previsão de segurança. Acreditamos que na quarta todos já estejam vacinando”, detalhou o presidente da Aprece.

A estimativa é de que todas as doses sejam aplicadas ainda na quarta-feira. “É um quantitativo ainda pequeno. Portanto, a vacinação dos grupos deverá ser rápida”, acrescentou Nilson. Sayonara Cidade explica que, diante do lote reduzido, a prioridade para imunização foi definida de forma estratégica.

“A recomendação é que comece pelos profissionais dos hospitais que trabalham nas UTIs, depois profissionais do Samu, em seguida da UPA, depois unidade sentinela e posteriormente equipes da saúde da família e os idosos institucionalizados”, detalhou a presidente do Cosems.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad