Petrobras anuncia novo aumento no preço do diesel e da gasolina nas refinarias - RÁDIO SÃO PEDRO FM 105,9

Post Top Ad

Petrobras anuncia novo aumento no preço do diesel e da gasolina nas refinarias

Share This

 

Refinaria da Petrobras (Reprodução)

 A Petrobras anunciou, nesta segunda-feira (8), mais um aumento para os preços médios de venda aos distribuidores. O diesel vai subir para R$ 2,24 por litro, representando um aumento de R$ 0,13 por litro. Já a gasolina passa a custar R$ 2,25 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,17 por litro. Os novos valorem passam a vigoram a partir dessa terça-feira (9) nas refinarias da empresa.

Esta é a terceira alta nos preços do litro da gasolina deste ano e a segunda no do diesel. Em janeiro a gasolina era repassada para as distribuidoras por R$ 2,08 e o óleo por R$ 2,12. O Brasil é um dos países em que o preço do diesel mais subiu desde outubro de 2020, conforme estudo do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

“Importante ressaltar que os valores praticados nas refinarias pela Petrobras são diferentes dos percebidos pelo consumidor final no varejo. Até chegar ao consumidor, são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras, no caso da gasolina e do diesel, além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores de combustíveis”, informou a Petrobras, estatal que está sob pressão diante da necessidade de aumentar seus produtos ao mesmo tempo em que existe ameaça de greve dos caminhoneiros pela alta do diesel.

Mudanças em tributos

Na tentativa de conter as críticas por causa da alta no preço dos combustíveis, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse a apoiadores nesta manhã que voltará a reunir a equipe econômica nesta segunda-feira para tentar bater o martelo sobre uma medida para baixar o valor de PIS/Cofins.

Na porta do Palácio da Alvorada, ele disse aos eleitores que não tem ingerência sobre a Petrobras e que não pretende se tornar um ditador para extrapolar os limites que a legislação impõe ao presidente da República.

“Não é novidade para ninguém: está previsto um novo reajuste de combustível para os próximos dias, está previsto. Vai ser uma chiadeira com razão? Vai. Eu tenho influência sobre a Petrobras? Não”, disse Bolsonaro.

Na sexta-feira (5), o chefe do Executivo acional acenou com a possibilidade de mudar a forma de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pelos Estados para amenizar a alta dos combustíveis, que também tem sido motivo de aumento de inflação, levando o mercado a prever uma possível alta na taxa de juros.

“Nós pretendemos é ultimar um estudo e, caso seja viável, seja juridicamente possível, nós apresentaremos ainda na próxima semana fazendo com que o ICMS venha a incidir sobre o preço do combustível nas refinarias ou um valor fixo para o álcool, a gasolina e o diesel. E quem vai definir esse percentual ou esse valor fixo serão as respectivas assembleias legislativas”, afirmou o presidente na ocasião.

O ICMS é um imposto estadual, cobrando sobre venda de produtos. As tarifas variam de acordo com as mercadorias. Hoje, o ICMS é cobrado no momento da venda do combustível no posto de gasolina e representa uma parcela muito grande da arrecadação dos Estados.

Alta no preço do barril de petróleo

O barril de petróleo Brent voltou a superar a cotação de 60 dólares nesta segunda-feira, pela primeira vez em quase um ano, um sinal de que o mercado aposta na recuperação e começa a ver a pandemia como algo do passado.

O Brent, referência na Europa, estava abaixo da cifra simbólica desde 20 de fevereiro de 2020, quando a epidemia de Covid-19 começou a se propagar por todo o mundo, ameaçando em particular o setor do transporte, que consome boa parte do petróleo.

Em abril, o Brent desabou a 15,98 dólares o barril, um preço que não era registrado há mais de 20 anos, enquanto seu equivalente americano, o WTI, era negociado de maneira negativa, algo inédito.

A intervenção dos membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) ao lado de seus aliados da chamada OPEP+ foi o que ajudou, em um primeiro momento, a recuperação dos preços.

Fonte: Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad